Você tem Compulsão Alimentar?

imag - 05.02

Resolvi trazer um assunto que já abordei anteriormente aqui no site, mas faz muito tempo e tenho percebido uma recorrência grande dele na clinica. Falaremos hoje mais um pouco sobre Compulsão Alimentar. Esta é considerada um distúrbio alimentar que se caracteriza pela ingestão exagerada e descontrolada de alimentos. Essa ingestão acontece mesmo sem a presença da fome ou necessidade física do alimento. Na maioria dos casos, a pessoa compulsiva perde o controle do que esta ingerindo e torna o processo mecânico. Quando percebe já comeu grandes quantidades e um curto espaço de tempo.

É valido ressaltar que todos nos cometemos alguns excessos na alimentação uma vez ou outra. Episódios esporádicos são vistos como normais. As pessoas que apresentam esse transtorno cometem esses excessos com frequência.

Quando uma pessoa passa a se alimentar com maior frequência do que o necessário, mesmo não sentindo fome, um sinal vermelho deve ser aceso. Ela pode ser um compulsivo alimentar e alguns sinais podem ser observados:

  • A pessoa come mais rápido do que o normal;
  • Passa a comer quando não está com fome;
  • Continua comendo mesmo quando já está saciado e após ter ingerido quantidades maiores que o necessário;
  • Come sozinha ou escondida das outras pessoas;
  • Fica mais introvertida;
  • Pode apresentar problemas afetivos e vício em jogos de azar e bingos;
  • Sente-se triste ou culpada por comer demais.

A compulsão alimentar é um transtorno psiquiátrico que demanda tratamento assim como vários outros. O mais adequado é que o paciente seja acompanhado por uma equipe multidisciplinar formada por nutricionista, psiquiatra e psicólogo. Além disso, é importante a realização de atividade física, pois ela ajuda no controle do peso e da ansiedade.

Se você se percebe compulsivo busque ajuda de profissionais, evite fazer dietas restritivas e radicais sem acompanhamento, pois elas acabam causando pensamentos fixo no ato de comer, tornando a rotina estressante e proporcionando mais atos de compulsão e consequentemente frustração e o ciclo da compulsão ira se manter.

Tente avaliar sua fome e suas vontades. Observe e reflita se de fato você esta com fome física, ou seja, existe uma necessidade biológica de comida, se você esta com desejo de comer um prato especifico e consegue se programar para come-lo, em um outro dia, por exemplo, ou se fome esta com vontade de qualquer coisa e na verdade existe uma demanda emocional e a comida irá tapa-la momentaneamente. O paciente junto com o psicólogo deve identificar quais são os gatilhos que causam essa “fome” emocional para trabalhar esses tema na terapia.

                Por ultimo, mas muito importante busque “alimentar-se” de outras energias, por exemplo:

  • Estar com quem você ama;
  • Meditar;
  • Fazer uma atividade física prazerosa;
  • Ler aquele livro que já está na sua cabeceira há tempos;
  • Ir ao parque com o seu cachorro;
  • Fazer algo diferente, algo que você nunca fez.

Atividades que nos geram prazer são grandes aliados  no tratamento da compulsão alimentar, visto que para muitos pacientes a comida é uma grande fonte de prazer e mexer na forma como se alimenta traz grandes ansiedades e medo da falta dessa fonte de prazer.

Se você se identificar com o que conversa sobre compulsão alimentar busque ajuda.

 

Achou interessante? Compartilhe!

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Aguarde...

    Informe Seu E-mail

    Quer receber meus artigos sobre temas relacionados a psicologia? Medos, Stress, Ansiedades, depressão... Cadastre seu melhor e-mail.