Transtorno Alimentar – Bulimia

Bulimia_1Na matéria anterior apresentei para vocês o conceito de Transtorno Alimentar e falei um pouco mais sobre a Anorexia que é um dos Transtornos Alimentares mais conhecidos e que acomete,  normalmente, mulheres jovens. Hoje falaremos sobre a Bulimia, mas antes vamos relembrar, rapidamente, o que caracterizada os Transtornos Alimentares.

Dessa forma, os Transtornos Alimentares são síndromes psiquiátricas que se caracterizam por grandes e perigosas alterações do comportamento alimentar do indivíduo que podem levar a pessoa à magreza extrema, a obesidade, e a outros problemas físicos. Os principais Transtornos Alimentares são: a Anorexia, a Bulimia e Obesidade. Como supracitada, hoje falarei um pouco mais sobre a Bulimia.

A bulimia caracteriza-se por grande ingestão de alimentos de maneira muito rápida e intensa associada a uma sensação de perda de controle – os chamados episódios bulímicos (FAIRBURN, 1995). Estes, quando acontecem, são acompanhados por comportamentos compensatórios para que o controle de peso seja mantido, isto é, após a ingestão de grandes quantidades de alimentos os pacientes se empenham em rituais de purgação como vômitos auto-induzidos, esse é o ritual mais utilizado pelos pacientes, ou fazendo uso de grandes quantidades de medicamentos diuréticos e laxativos, dietas, exercícios físicos, abuso de cafeína ou mesmo uso de cocaína.

Vale ressaltar, que esses comportamentos não são feitos uma única vez, existem registros de pacientes que chegam a provocar mais de quinze vômitos por dia, os pacientes que tomam laxantes chegam a fazê-lo em doses que atingem quarenta vezes o recomendado por uma prescrição médica e no caso dos exercícios físicos, se empenham em práticas intensas que podem durar até oito horas por dia. Todos esses comportamentos marcados pelo excesso têm um único propósito: o de compensar a quantidade de calorias ingeridas na compulsão alimentar cometida.

A bulimia se diferencia da anorexia, principalmente, por envolver uma grande variação de peso, descontrole alimentar freqüente, ou seja, as compulsões, e estar mais associado a um quadro depressivo. Enquanto que a anorexia está mais associada com uma magreza excessiva, longos períodos de restrição alimentar e transtornos de ansiedade.

Os pacientes bulímicos geralmente estão dentro do seu peso ou um pouco acima. E apesar disso, tentativas de dieta são realizadas constantemente, bem como,  tentativas de adaptar a sua rotina as novos comportamentos adquiridos como as compulsões alimentares e em seguida os rituais para compensar a grande quantidade de calorias ingeridas. Esses rituais, normalmente, são realizados as escondidas, mesmo das pessoas íntimas. Uma alternativa utilizada pelos pacientes para manter o seu problema escondido é o isolamento e distanciamento social, que por sua vez traz outras conseqüências negativas.

Assim como a anorexia, a Bulimia ocorre geralmente na adolescência e predominantemente nas mulheres. Em suas conversas, os bulímicos darão preferências a assuntos relacionados a formas de emagrecimento, e um comportamento, comum a esses pacientes, é o de esconder alimentos para futuros episódios de compulsão.

Os problemas fisiológicos decorrentes da Bulimia são muitos e podemos citar como os principais os: problemas nos dentes e gengivas, desidratação, fadiga, ressecamento da pele, arritmia cardíaca, irregularidade ou perda da menstruação, constipação, dentre outros. Psicologicamente os pacientes bulímicos apresentam baixa auto-estima, pensamento extremista, insatisfação constantes, depressão, autocrítica elevada, dentre outros.

Assim, como na Anorexia o tratamento para o paciente como Bulimia terá como objetivo restaurar o comportamento alimentar adequado, fazendo com que o indivíduo atinja um equilíbrio clinica novamente. O tratamento deve ser conduzido por uma equipe multidisciplinar composta por psiquiatras, psicólogos, nutricionais, endocrinologistas, dentre outros.

No tratamento psicológico trabalharemos o significado fisiológico e psicológico da fome e suas conseqüências, a imagem corporal, o processo de mudança de hábito e rotina, dentre outros pontos. A importância do tratamento multidisciplinar é que além de tratar o sintoma iremos trabalhar as causas desse transtorno para aquele paciente.

Hoje descrevi um pouco sobre Bulimia na próxima matéria falarei um pouco mais sobre a Obesidade, que é outro Transtorno Alimentar. Dúvidas e perguntas deixem nos comentários que terei prazer em respondê-los.

Achou interessante? Compartilhe!

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Aguarde...

    Informe Seu E-mail

    Quer receber meus artigos sobre temas relacionados a psicologia? Medos, Stress, Ansiedades, depressão... Cadastre seu melhor e-mail.