Transtorno de Ansiedade Social

imageEstar em contato com várias pessoas desconhecidas, apresentar um trabalho, participar de eventos sociais, fazer uma entrevista de emprego podem ser situações extremamente difíceis para algumas pessoas, gerando grande ansiedade e até mesmo crises de ansiedade.

Essas pessoas podem ter o que chamamos de Transtorno de Ansiedade Social que se caracteriza por crises de ansiedade quando o sujeito é colocado em situações sociais. Esse transtorno possui dois subtipos o generalizado quando o sujeito apresenta ansiedade em todas as situações supracitadas, por exemplo. E o não generalizado ou restrito quando a ansiedade aparece em situações específicas. O diagnóstico desse transtorno é bem difícil, pois é comum ele ser confundido com timidez, com falta de habilidades sociais, com algum traço de personalidade, com introversão, com algumas fobias específicas, dentre outros. O desconforto causado por essas situações e o quanto isso afeta e limita a vida do sujeito deve ser um indicativo importante no processo de diagnóstico.

De acordo com o novo DSM-V (o atual Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais), para ser diagnosticado com transtorno de ansiedade social, o seu medo ou ansiedade devem estar fora de proporção, no que se refere à frequência ou duração, os sintomas devem ser persistentes, com duração de seis meses ou mais. Para ser diagnosticado com transtorno de ansiedade social, você também deve sofrer de aflição ou prejuízo significativo, que interfere na sua rotina normal em ambientes sociais, no trabalho na escola, ou durante outras atividades cotidianas.

Pacientes que apresentam esse tipo de transtorno durante a situação social a ansiedade tende a persistir levando a pessoa a enfrentar níveis altos de sofrimento. Quando sai da situação, a ansiedade tende a diminuir significativamente, o que reforça tendências de fuga e evitação de novas situações sócias. Muitas vezes, a própria expectativa de ter que enfrentar situações sociais já pode ativar ansiedade. Este comportamento de evitação pode ir limitando significativamente a vida da pessoa.

No processo terapêutico iremos identificar quais são as situações que mais causam ansiedade ou se é um transtorno generalizado e iremos trabalhar para que o paciente possa ir aos poucos enfrentando os seus medos. Se você se identifica com o que foi apresentado acima busque ajuda.

Achou interessante? Compartilhe!

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Aguarde...

    Informe Seu E-mail

    Quer receber meus artigos sobre temas relacionados a psicologia? Medos, Stress, Ansiedades, depressão... Cadastre seu melhor e-mail.