Surto Psicológico

      Surto-psicologico-psicologia-fortaleza-cearal

   O surto psicológico, normalmente, acontece repentinamente. A pessoa perde a noção da realidade devido a momentânea incapacidade de pensar racionalmente e surta. O surto psicológico apresenta algumas características básicas e para ser considerado como tal é preciso que o paciente apresente pelo menos duas das características abaixo:

 – Delírios e/ou alucinações, ou seja, as pessoas passam a ver e ouvir coisas que não estão acontecendo na realidade;

– Apresentar um discursos desorganizado e sem coerência;
– Comportamento diferente com agitação ou catatônico ( a pessoa fica paralisada sem apresentar reação);
– Desorientação temporal;
– Confusão emocional, dentre outros.

        Algumas vezes, dizemos que fulano “surtou” por ter apresentado um comportamento diferente do esperado, seja esse de agressividade ou paralisação diante de alguma situação. Apresentar comportamentos desproporcionais a realidade significa que a pessoa não está psicologicamente bem, mas não que ela está tendo um surto psicológico. Esse traz um comprometimento maior do que um descontrole momentâneo em que a pessoa rapidamente toma a consciência novamente.

        Os surtos podem acontecer por vários motivos: em decorrência de um transtorno psicológico grave, pelo uso de substâncias psicoativas, pela ocorrência de um evento grave e de grande estresse para o sujeito que pode acontecer isoladamente ou por um conjunto de eventos estressores, dentre outros. As causas são as mais variadas, mas o que é comum neles é que eles são vistos como o estopim. A pessoa já apresentava uma fragilidade e uma desorganização psicologia até que em um determinado momento ela surta.

        Os surtos podem acontecer uma única vez e nunca mais voltar e podem acontecer várias vezes dependendo do grau de fragilidade psicológica da pessoa e do que o motivou. O mais importante, é que independente da causa um paciente em surto precisa de tratamento e acompanhamento psicológico e médico. Durante a crise é necessário o uso da medicação , pois essa irá diminuir os sintomas e até mesmo ajudar o paciente a manter-se seguro. E ao longo de todo o tratamento o acompanhamento psicológico será fundamental.

          Na terapia iremos buscar entender qual o fato que motivou surto e se esse é indício de um grave transtorno psicológico. Com essa análise feita daremos o melhor encaminhamento para o tratamento.. Se o surto for em decorrência de um transtorno grave esse paciente precisará ser acompanhado por um longo período, mas se esse for em decorrência de um fato estressante, muito provável, que o paciente faça terapia até se reorganizar e ficar bem.

            Vale ressaltar, que o que conversamos aqui hoje é apenas uma orientação e não substitui o acompanhamento psicológico e médico. Procure ajuda especializada se estiver precisando. Finalizamos por aqui hoje. Fico à disposição para maiores esclarecimentos. Um boa semana.

Achou interessante? Compartilhe!
    2 Comentários

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Aguarde...

    Informe Seu E-mail

    Quer receber meus artigos sobre temas relacionados a psicologia? Medos, Stress, Ansiedades, depressão... Cadastre seu melhor e-mail.