O Psicólogo e o Câncer de Mama – Outubro Rosa

outubro-rosaNo mês de outubro é realizado no Brasil a campanha contra o câncer de mama que é chamada de Outubro Rosa em virtude de ser um câncer predominantemente feminino, mas que, também, pode acometer homens.

O diagnóstico de câncer e todo o processo da doença são vividos pelo paciente e pela sua família como um momento de muita angústia, sofrimento e ansiedade. Além do rótulo de uma doença dolorosa e mortal, o paciente normalmente vivencia no tratamento, que são em sua maioria longos, perdas e sintomas adversos, trazendo prejuízos nas habilidades funcionais, vocacionais e incerteza quanto ao futuro. Muitas fantasias e preocupações em relação à morte, mutilações e dor encontram-se presentes.

No câncer de mama, além das preocupações supracitadas, encontram-se presentes, também, angústias relacionadas à feminilidade, maternidade e sexualidade, já que o seio é um órgão cheio de simbolismo para a mulher. Dessa forma, o anúncio desse diagnóstico, seguido pelos tratamentos, pode ocasionar abalos significativos na vida da paciente.

Entre as mulheres, o câncer de mama apresenta-se como a segunda neoplasia maligna com maior incidência, assim como uma causa relevante de mortes por câncer no Brasil. Dessa forma, essa patologia é considerada um dos maiores problemas de saúde pública associado ao câncer em mulheres nesse país. No entanto, é um tipo de câncer que possui uma significativa possibilidade de sobrevida quando detectado precocemente.

A partir do diagnóstico confirmado, a paciente vê sua vida tomar um rumo diferente do que poderia imaginar, já que o câncer pode trazer alterações significativas nas diversas esferas da vida como trabalho, família e lazer. Dessa forma, acaba trazendo modificações em seu cotidiano e nas relações com as pessoas do seu ambiente social.

Essa realidade faz com que a paciente e seus familiares assumam papéis que não foram escolhidos e sim impostos pela fatalidade do adoecimento, interrompendo planos, ideais e perspectivas futuras. A constante adaptação às mudanças ocorridas devido ao adoecer torna-se necessária.

Diversas pesquisas apontam que quadros de ansiedade e depressão estão entre os problemas psicológicos mais freqüentes entre as pacientes com câncer. Alguns autores afirmam que 20% – 30% das pacientes com câncer de mama têm ansiedade, depressão e baixa auto-estima em algum momento após o diagnóstico e reforçam que essas comorbidades podem continuar após o conhecimento do diagnóstico e até mesmo depois do término do tratamento.

O psicólogo atuante junto a essa demanda visa manter o bem-estar psicológico do paciente, identificando e compreendendo os fatores emocionais que interferem na sua saúde. Outros objetivos do trabalho desse profissional são prevenir e reduzir os sintomas emocionais e físicos causados pelo câncer e seus tratamentos, levar o paciente a compreender o significado da experiência do adoecer, possibilitando assim re-significações desse processo.

 Em sua atuação, o psicólogo deve estar atento também aos distúrbios psicopatológicos, como depressão e ansiedade graves.

Sua prática é exercida em todas as etapas do tratamento, como dito anteriormente, habilitando o paciente a confrontar-se com o diagnóstico e com as dificuldades dos tratamentos decorrentes, ajudando-o a desenvolver estratégias adaptativas para enfrentar as situações estressantes.

Diante do exposto, é valido orientar que os pacientes que estão passando por esse processo de adoecimento busquem ajuda psicológica e possa assim lidar com esse momento tão difícil de forma mais saudável e tranquila.

Alem disso, é valido ressaltar a importância do auto-exame e dos exames de prevenções que as mulheres devem fazer todos os anos. Você pode fazer a diferente no seu diagnostico, caso faça os exames regularmente. Vamos ficar atentas e nos cuidar quando descoberto no inicio o câncer de mama tem grande chance de ser curado.

Achou interessante? Compartilhe!

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Aguarde...

    Informe Seu E-mail

    Quer receber meus artigos sobre temas relacionados a psicologia? Medos, Stress, Ansiedades, depressão... Cadastre seu melhor e-mail.