Falta de limite das Crianças, como lidar?

divorcio_filhos_psicologo_separacao_pais_rafaela_camara-araujo

               É cada vez maior o número de pais e ou responsáveis que chegam até o consultório com a queixa de que os filhos não obedecem ninguém, só fazem o que querem e na hora que querem, não respeitam as regras, dentre outros. Você mesmo deve conhecer uma criança assim e já deve ter se perguntado: Será que os pais dessa criança não está vendo isso?

            Provavelmente, os pais estão vendo e estão angustiadas com os comportamentos do filho, mas não é uma tarefa fácil dar limites hoje em dia. Antigamente, a configuração familiar era feita por um pai que trabalhava fora e mães que dedicavam-se exclusivamente a educação dos filhos e dos afazeres domésticos, elas tinham mais tempo para acompanhá-los e conduzi-los de perto. A educação do filho era realizada diretamente pelos pais.

            Com a chegada da idade moderna, as mulheres passaram a trabalhar fora de casa e a se dividirem entre os papéis de mãe, dona de casa, esposa, profissional e estudante o que faz com que o tempo dedicado a cada um desses papéis seja menor. Com isso é comum vermos as crianças passando o dia em escolas de tempo integral, com babás, na casa das avós, tendo o contato com os pais reduzidos. Isso a princípio não tem nenhum problema e se for feito da forma adequada pode enriquecer a educação da criança. O problema passa a existir quando os pais resolvem terceirizar a educação dos filhos, ou seja, eles colocam como obrigação da escola, da babá, da professora do reforço escolar, da psicóloga, dentre outros, a responsabilidade de educar e dar limites aos seus pequenos. E quando isso junta com a culpa, que muitos sentem, por terem deixado os filhos na escola o dia todo ou com a babá, aí é que passa a existir o grande problema.

            Os pais precisam aprender a dizer não para os seus filhos sem sentir culpa e serem capazes de sustentar o não dado. Dizer não e logo depois voltar atrás é pior do que dizer sim, pois a criança passa a entender que a palavra dos pais não tem valor e a partir de então passam a fazer chantagens e/ou birras para conseguirem o que quer.  Vocês já devem ter visto aquela criança jogada no chão da loja de brinquedos, gritando e chorando desesperadamente porque os pais disseram que não vão dar o brinquedo que ela está pedindo, né? Então, aquele é um comportamento clássico de birra e as crianças fazem porque sabem que fazendo aquilo elas conseguirão fazer com que os pais voltem atrás do não dito.

            Dessa forma, não existe um grande segredo para conseguir impor limite nas crianças. O que precisa ser feito é manter a decisão tomada, não ceder diante dos comportamentos de birra, pois as vezes com vergonha da atitude do filho os pais acabam cedendo e deixando com que o filho entenda que ele pode fazer isso que assim ele vai conseguir o que quer. E por fim persistência, pois eles não vão aprender na primeira tentativa dos pais, é preciso ter paciência para conseguir ver as mudanças. Vale ressaltar, que não é uma receita de bolo e que cada criança tem um funcionamento e as vezes será necessário fazer mais algumas ações.

            Finalizo essa matéria lembrando que se você já tem essas atitudes com o seu filho e ele continua sem limites está na hora de buscar uma psicóloga para que possa ser feito uma avaliação e a partir dessa fazer os acompanhamentos e direcionamentos melhores para o seu filho. Procure um psicólogo, fico a disposição.

Achou interessante? Compartilhe!

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Aguarde...

    Informe Seu E-mail

    Quer receber meus artigos sobre temas relacionados a psicologia? Medos, Stress, Ansiedades, depressão... Cadastre seu melhor e-mail.