Entenda mais sobre a Ciclotimia.

imageHoje falaremos de um transtorno psicológico e psiquiátrico que poucas pessoas conhecem, mas que acomete um número significativo de pessoas e é considerado um diagnóstico diferenciado tendo em vista que é semelhante ao um transtorno muito comum e por muito de nós conhecidos.
Estamos falando da Ciclotimia que é caracterizado pela instabilidade persistente de humor que comporta numerosos períodos de depressão ou de leve euforia, nenhum deles suficientemente grave ou prologado para responder aos critérios de um transtorno afetivo bipolar ou de um transtorno depressivo recorrente. Esse transtorno é mais diagnosticado em pacientes com familiares que apresentam diagnóstico de transtorno afetivo bipolar.
O ciclotimico é visto pelas pessoas que estão a sua volta como uma sujeito alegre, simpático, de fácil comunicação, otimista, enfim, com o perfil leve e alegre. No entanto quando ele vai para o outro polo ele demonstra uma personalidade baseada no pessimismo, na falta de comunicação e isolamento. Essa mudança de humor tende a ser percebida pelas pessoas que estão a volta e acaba tornando-se difícil de lidar com o sujeito pela impossibilidade de saber qual vai ser o comportamento apresentado.
As alterações de humor são normalmente percebidas pelo afetado como sendo desvinculadas dos eventos de seu cotidiano. O diagnóstico é difícil de se estabelecer sem um prolongado período de observação ou sem um conhecimento profundo do passado do afetado, o que, às vezes, é difícil de conseguir. Pelas alterações de humor serem relativamente brandas em relação aos transtorno mais graves, como o Bipolar, a Ciclotimia acaba só recebendo atenção médica e do próprio paciente quando o quadro se agrava.
Dessa forma, para a classe médica a Ciclotimia é a considerada a uma versão mais branda do Transtorno Bipolar, é uma doença que acomete tanto homens como mulheres igualitariamente sendo que as mulheres buscam ajuda mais rápido e com forte tendência hereditária, ou seja, a ciclotimia é normalmente diagnóstica em pacientes com o histórico de Transtorno Bipolar na família.
O tratamento desse transtorno se dá através de terapia medicamentosa que irá utilizar estabilizadores de humor dentre outras drogas e psicoterapia com o intuito de dar suporte ao paciente e ajudá-lo a entender como essas alterações acontecem e como lidar com elas.
Vale ressaltar, que nós todos temos alterações de humor, de vez em quando, aqui estamos falando de alterações frequentes e significativas. Se você se percebe assim ou conhece alguém com essas alterações, busque ajuda.

 

Achou interessante? Compartilhe!

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Aguarde...

    Informe Seu E-mail

    Quer receber meus artigos sobre temas relacionados a psicologia? Medos, Stress, Ansiedades, depressão... Cadastre seu melhor e-mail.