Conheça mais sobre Esquizofrenia

             O_que_e_Esquizofrenia_tem_cura_psicologia_fortaleza

                Falaremos um pouco hoje sobre um dos transtornos psiquiátricos mais conhecidos, mas que também deixa muitas dúvidas no ar em função da gravidade e das diversas formas que ele pode tomar.

            A esquizofrenia é um transtorno mental grave que afeta, praticamente, todos os processos mentais do paciente. Ela altera o pensamento, percepção, afetividade, motivação, memória, dentre outros. Se caracteriza pela ambivalência emocional, alucinações de qualquer um dos 5 sentidos, mas principalmente do auditivo e visual, alterações da forma e do conteúdo dos pensamentos em forma de delírios, alterações do contato com a realidade, dentre outros.

            A causa da esquizofrenia, assim como de outros transtornos mentais, não é totalmente conhecida e não possui um fator único causador, mas um conjunto de fatores. Atualmente, acredita-se que o uso de substâncias psicoativas, histórico familiar, outros transtornos mentais, história de vida e alguns outros pontos podem ser a causa do aparecimento do transtorno.

            Os sintomas da esquizofrenia são bem variados e vai depender da forma que a doença toma naquele sujeito. Porém existe um consenso entre as teorias de que existem três sintomas clássicos, ou seja, é preciso que o paciente os apresente para que o diagnóstico seja feito com mais precisão. São eles: isolamento, alucinações e alteração na forma e no conteúdo do pensamento. Como falamos os sintomas podem ser variados pela forma que a doença aparece e pela evolução, se surgiu mais tardiamente ou não, por exemplo.

            Hoje em dia, acredita-se que a esquizofrenia pode tomar 5 formas distintas sendo elas: a Paranóide na qual existe a predominância dos delírios de perseguição e grandeza bem estruturados e o seu surgimento é agudo. A Desorganizada que se caracteriza por transtornos no curso do pensamento e por ideias delirantes mal estruturadas e desorganizadas. A Catatônica que predomina as alterações da motricidade e atividade. A Indiferenciada que é caracterizada pela apatia e indiferença ao mundo externo, causando baixa nos rendimentos escolares e no trabalho. E por último, a Residual que é a evolução final da doença e se caracteriza por um grande embotamento afetivo e pouca produção mental.

            O tratamento da esquizofrenia é multidisciplinar e envolve terapia medicamentosa, psicoterapia, terapeutas ocupacionais, intervenção familiar dentre outras ferramentas. O tratamento pretende restabelecer a qualidade de vida do paciente e não a cura do transtorno, pois esse é crônico não sendo possível obter a cura total.

            Podíamos passar bastante tempo discutindo e aprofundando esse tema, mas quero apenas lhes apresentar a esquizofrenia e ressaltar que os paciente que possuem esse transtorno, muitas vezes, sofre, preconceito social, no trabalho, no âmbito familiar, dentre outro, mas se esse paciente tiver a ajudar necessária ele poderá, dentro das suas possibilidades, ter uma vida funcional. Procure a ajuda certa. Um abraço.

Achou interessante? Compartilhe!

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Aguarde...

    Informe Seu E-mail

    Quer receber meus artigos sobre temas relacionados a psicologia? Medos, Stress, Ansiedades, depressão... Cadastre seu melhor e-mail.