Como identificar a Síndrome do Pânico

psicologa-em-fortaleza-medo-de-morrer-é-uma-das-principais-causas-da-sindrome-do-pânico      Você já deve ter escutado de algumas pessoas relatos como: “de repente os olhos embaçaram, fiquei tonto, com muita dificuldade para respirar, com as mãos tremulas…” ou “tinha certeza que ia morrer me sentia fora da realidade, comecei a ficar com pavor, meu coração batia muito acelerado, estava suando frio, com muito medo…”. Diante desses dois pequenos relatos dá para imaginar o quanto pessoas com Síndrome do Pânico sofrem ao passarem por essas crises, que dependendo do estado em que o paciente esta, essas crises podem se tornar frequentes.

            No momento das crises o corpo tende a reagir como se estivesse frente ao um grande perigo, mas não existe algo concreto e visível que possa esta causando essa sensação. Durante uma crise de pânico o “perigo” vem de dentro, está em você, e por isso a dificuldade de lidar com ele, pois não é visível e no começo do tratamento os pacientes, em sua grande maioria, não fazem ideia qual a origem desse perigo.

            A Síndrome do Pânico é um transtorno psicológico caracterizada pelo acontecimento repentino de crises de pânico. As crises são períodos de intensa ansiedade e medo, geralmente com inicio inesperado, súbito e acompanhado de uma sensação de estar em grande perigo. A frequência varia de um paciente para outro e a duração também, mas normalmente duram alguns minutos.

            Para identificar uma crise de pânico precisamos ficar atentos aos sintomas sentidos. Normalmente, um paciente em crise apresenta pelo menos de quatro a cinco dos seguintes sintomas: taquicardia, falta de ar, dor ou desconforto no peito, formigamento, tremores, tontura, náuseas, visão embaçada, boca seca, sudorese, dificuldade para engolir, sensação de irrealidade e de iminência de morte.

            É importante ressaltar que qualquer pessoa esta sujeita a uma eventual crise de pânico estando exposta a um grande estresse, vivenciando grandes emoções, passando por situações que a faça se sentir mais vulnerável e ou desamparada. Uma crise de pânico pontual diante dessas situações pode ser considerada aceitável, normal. Dessa forma, alguns indivíduos passam por uma crise isolada, sem desenvolver o padrão de crises repetidas e frequentes que caracterizam a síndrome do pânico.

            Diante do exposto é importante dizer que a Síndrome do Pânico, como alguns outros transtornos psicológicos, precisam ser tratados, não podemos menosprezar a sua presença, até porque, ele é causador de um sofrimento muito grande. O tratamento deve ser realizado através de um acompanhamento psicológico, psicoterapia e uma terapia medicamentosa. Na terapia iremos passar pela fase de entender melhor o que é o pânico, qual a atitude correta para lidar com as crises e com as ansiedades por elas ocasionadas, desenvolver a capacidade de entender como as crises surgem, o que as disparam, dentre outras fases.

            Dessa forma, se você esta com crises de pânico não hesite em procurar ajuda correta, pois com o tratamento adequado você irá controlar o transtorno e voltará a ter qualidade de vida. Deixe sua dúvida ou comentário no formulário abaixo que retornarei seu contato o mais breve possível.

Achou interessante? Compartilhe!

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Aguarde...

    Informe Seu E-mail

    Quer receber meus artigos sobre temas relacionados a psicologia? Medos, Stress, Ansiedades, depressão... Cadastre seu melhor e-mail.