13 Reasons Why – Como podemos “olhar” para a série.

13 reasons why grande 2No ultimo mês a Netflix lançou uma série que vem gerando grandes debates e tem estado presente nas conversas dos grupos de adolescentes, principalmente. A trama da série relata a historia de Hanna, uma adolescente de 17 anos, que cometeu suicídio e deixou 13 fitas gravadas e destinadas a algumas pessoas que ela aponta com sendo os “culpados” pelo seu suicídio.

Com a ajuda das fitas deixadas por Hanna, a serie retrata o dia a dia vivido pela personagem nos meses que antecederam a sua morte, do seu ponto de vista. Os episódios são bem escritos e produzidos gerando curiosidade e interesse no telespectador de entender o desenrolar da historia que fica ainda mais interessante pela pitada de suspense acrescida pelo produtor.

No entanto, é preciso fazermos algumas ponderações sobre os assuntos abordados na trama. Questões sérias como bullying no ensino médio, machismo, abuso sexual, homosexualismo, a difícil missão de ser adolescente e, principalmente, o suicídio. Não tive como assistir aos episódios e não me sentir incomodada pela forma que esses assuntos tão delicados estão sendo apresentados.

O suicídio esta entre as principais causas de morte na adolescência competindo diretamente, no caso do Brasil, com mortes causas por violência armada e os números só crescem. Existem inúmeras hipóteses sobre o que poderia esta causando essa crescente. Uma delas é que não costumamos ver nas mídias campanhas de esclarecimento sobre o suicídio, esse parece ser tratado, ainda, como um tabu. E quando se lança uma série que além de mostrar os motivos pela qual a adolescente cometeu o ato, vale ressaltar que os motivos apontados são enfrentados por muitos jovens durante a passagem pela adolescência e isso gerara uma identificação com a historia da personagem, mostra o ato em si, com detalhe e minúcia é preciso ter um olhar critico.

Indo de encontro ao que a Sociedade Americana de Prevenção ao suicídio estabelece, no ultimo episodio da série, o momento do suicídio de Hanna é explicitado com todos os detalhes e me deu a sensação de ter sido ate vangloriado, romantizado, quando na verdade não é bem por ai. A capacidade de alcance da serie é enorme, muitas e muitas pessoas irão assistir e não é possível controlar quais e em qual estado psicológico essas pessoas estarão para ver essas cenas. Dessa forma, é preciso levar em consideração que para pessoas fragilizadas as imagens e a historia podem ser um indutor negativo.

Não vou entrar em detalhes para não estender muito o assunto, mas é conhecido dos profissionais da área de saúde e dos grande estudioso do suicidio o “efeito Werther”. No qual, “pequenos” relatos e imagens podem causar aumento no número de suicídio e grande influência negativa.

Outro pronto importante de ser ressaltado é a idéia da culpabilização do suicídio. Grande parte da tensão da série gira em torno de quem é a “culpa” pelo suicídio de Hanna: dela, dos seus pais, dos amigos, da escola (que é processada pelos pais de Hanna), da sociedade. O suicídio é, na sua imensa maioria das vezes, um ato complexo, desesperado e ambíguo. A busca por um culpado é dolorosa e improdutiva para os parentes e para o suicida pode ser um estimulo já que ele não terá que assumir a culpa pelo ato que esta cometendo.

Durante a série não é mostrado em momento nenhum o adoecimento psíquico de Hanna. A grande maioria das pessoas que se suicidam apresenta algum transtorno mental. Na série o ato é mostrado como uma escolha e nem, sempre, se configura assim para os pacientes que se encontram em grande sofrimento psíquico. A busca por ajuda, também, não é enfatizada e esta tem grande potencial quando realizada de forma correta, com equipe de profissionais preparada para isso.

A minha intenção ao trazer essa discussão não é contra indicar a série, dizer que ela não é legal ou algo do tipo. Ela na verdade tem grande potencial para discutirmos como esta a crueldade dos jovens, machismos, bullying, assedio, dentre outros assuntos que são importantes e que podem, também, trazer conseqüências devastadoras para a vida de um adolescente, mas quando pensamos no suicídio ela deixa a desejar.

O que desejo é que olhemos com cuidado para o que esta sendo retratado na serie, é que possamos orientar os jovens da forma correta, que possamos sim trazer o assunto suicídio para discussão, mas como todo o cuidado que esse assunto merece. Os centros de prevenção ao suicídio orientam que os pais assistam a série junto com os filhos e fiquem atentos a qualquer mudança repentina de comportamento. Vamos falar sobre o suicídio, mas com o cuidado e o respeito que ele merece.

Achou interessante? Compartilhe!

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Aguarde...

    Informe Seu E-mail

    Quer receber meus artigos sobre temas relacionados a psicologia? Medos, Stress, Ansiedades, depressão... Cadastre seu melhor e-mail.